31.8.13

dormi la fora

Dormi hoje à luz de Diana, e fui acordado pelo vento da madrugada. Havia estendido lá fora um colchãozinho de solteiro, e o cobri com o lençol florido e já rasgado que ganhei de minha mãe — e dormi à luz da lua cheia. Adormeci olhando estrelas sinuosas, insinuantes, e agora me acordo ouvindo esse ondulante rugido branco-mar, junto com o delicado som de um sininho chinês pendurado por alguém perto daqui. O vento suave lambe-me o corpo nu, e sussurra que já é hora de acordar dentro de mim. A percepção que tenho agora do mundo é tão profunda que posso até ouvir as folhas daquela árvore se acariciando umas às outras, como se aplaudissem com seu amor encabulado o meu próprio despertar. Então me acordo, em todos os Sentidos.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Ouço agora o sino do Mosteiro...

Edson Marques disse...

Agora, às 03h15, o sino deu de novo duas badaladas...

RESILIÊNCIA disse...

Edson

Só os poetas são acometidos de tal loucura... abraços na alma.