26.7.13

dna


As minhas referências, quanto ao que ganho nos negócios, não são o dólar, o ouro, o real: são as fantasias. Eu sempre, sempre que preciso, meço os valores em garrafas de vinho, quantidade de viagens, orgasmos, horas de voo, diárias de hotel, crepúsculos cor de abóbora, latinhas de caviar, ovos fritos, carne de porco, óleo de amêndoas, rosas vermelhas, sessões de cinema, teatro, fantasias...

Nunca o real, nunca o dólar!

2 comentários:

Edson Marques disse...

É a vida!

Como eu já disse, as Madrugadas me adoram...

Lisa libanesa disse...

Eu as adoro também... porque sei que você está aí do outro lado da telinha!

beijos!!!

Isso não tem preço!