20.7.13

abrir os olhos

Abrir os olhos não é só descolar as pálpebras por sobre os órgãos da visão. Abrir os olhos é voltar-se para o fundo da alma. É voltar-se para dentro e para cima — e deixar que a Luz preencha o nosso livre coração. É saltar com amor e alegria para o abraço profundo dos braços abertos de cada neurônio. Abrir os olhos é ver o invisível em sua própria imensidão.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Abrir os olhos não é só descolar as pálpebras por sobre os órgãos da visão. Abrir os olhos é voltar-se para o fundo da alma. É voltar-se para dentro e para cima — e deixar que a Luz preencha o nosso livre coração. É saltar com amor e alegria para o abraço profundo dos braços abertos de cada neurônio. Abrir os olhos é ver o invisível em sua própria imensidão.

http://mude.blogspot.com.br/2013/07/abrir-os-olhos.html

Acho que agora vou comer uma feijoada lá na Zona Sul.
De olhos bem abertos...

É a vida!

Edson Marques disse...

Eu disse outro dia que as perspectivas estão ficando escancaradas.

Mas elas sempre estiveram escancaradas...

O que (te) (me) (nos) faltava era abrir os olhos com vontade absoluta de abraçar o mundo!

Ygo Maia disse...

Como diz a frase do livro O PEQUENO PRÍNCIPE: O essencial é invisível aos olhos.

Gostei muito da reflexão.
Abraço!