1.6.13

se faz sol

Se a palavra me fere, não sou eu que desmaio — ela que perde o sentido.
Se um verbo me agride, não revido: me esquivo.
Se quebram meu brinquedo, eu conserto.
Se me roubam o carro, compro outro.
Se furam minha bola, tenho mais.
Se acaba o vinho, tomo leite.
Se chove, danço na chuva.
Se faz sol, me bronzeio.


Para mim, tudo é motivo para viver.
Só se me faltar a Liberdade é que me sentirei morto!

4 comentários:

Edson Marques disse...

Traição nos negócios também me enche o saco!

Mas aí já é outro departamento... rs!

http://mude.blogspot.com.br/2013/06/se-faz-sol.html

Edson Marques disse...

Continuo em SP. Agora vou jantar no Star City.

Lisa libanesa disse...

Há tantas outras coisas que nos aborrecem....poeta!
Coisas que os ditos "normais", fazem questão de se aprimorar a cada dia, para infernizar a vida daqueles cujo desejo é apenas viver em paz....
Enfim, se você viver estressada,por conta disso, acabará chata e insuportável...
Temos que ir passando a borracha pelo caminho que trilhamos e fechar os olhos para que nada nos aborreça!

beijossss


meu querido!


Lisa

sonia k. disse...

Bom dia!!!!
Edson,, v. em SP deve estar curtindo todas as coisas boas daí (exposições, comidas maravilhosas, vinhos especiais, teatros dos melhores... conseguiu ir ao brunch do Mosteiro?).
Não gosto mais de ir a SP, mas algumas coisas me deixaram saudade... As pizzas, por ex., mesmo estando num período em que não consigo comer normalmente.

Seus motivos de vida expostos no poeminha, são sensacionais. Afinal por que não ser feliz e se prender a pequenos detalhes que não constroem nada, não é?

Lisa, querida, quando leio Gabriel falou.... já sei que é v. não conseguindo alterar o remetente rsrsrs Beijos

Tenham um lindo e iluminado domingo. Beijos