3.6.13

cerebro sorrindo

Meu coração aplaude sempre as escolhas loucas que meus olhos fazem. E eu prossigo cavalgando propósitos — de ponta-cabeça — como se a Vida fosse uma potranquinha, puro-sangue, cor de vinho, indomável, contradita e deliciosa. Faço analogias em silêncio, invento coisas que ainda vão existir, crio conceitos, e me questiono sobre tudo e todas as coisas. Depois, destruo as minhas convicções, como se estivesse destruindo as tuas.

2 comentários:

Edson Marques disse...

Antes de saltar profundo, vire o mundo de ponta-cabeça!

http://mude.blogspot.com.br/2013/06/cerebro-sorrindo.html

sonia k. disse...

Vire o mundo e deixe todos perplexos. Esta ideia é deliciosa em todos os sentidos.
E agora ri também pois eu já devia ter mais juízo como diria minha avó. Mas não vamos procrastinar, não é?
Afinal a vida não tem tempo de validade estabelecido.
Grande semana pra você, meu amigo querido.