6.5.13

presentes do meu pai

Quando eu tinha onze anos de idade meu pai mandou o dono da loja — Tito Klocker — trazer-me um rádio de ondas curtas. Presente de aniversário. Meses depois, deu-me uma assinatura anual do jornal Estadão. Esses dois presentes foram fundamentais na determinação do meu futuro.
Obrigado, Pai!

Eu adorava o rádio. Durante o dia, muitas notícias, e o programa do Hélio Ribeiro. À noite, as transmissões em ondas curtas da Voz da América, da Rádio Central de Moscou, da BBC, da Rádio El Mundo, de Buenos Aires, da Rádio Pequim, da Radio Sofia, da Bulgária, e assim por diante. Geralmente, em espanhol. Eu preferia o espanhol visando aprender a língua. Depois de dois anos, o espanhol passou a ser minha segunda língua. Essas transmissões também me ajudaram a aprender que os fatos podem ter várias versões. Mas quando a pilha estava acabando, eu tinha que encostar o ouvido no rádio. Dormia com ele ligado, na cama, ao lado do travesseiro. Aprendendo espanhol — e viajando pelo mundo...

3 comentários:

Edson Marques disse...

Um pouco antes, deu-me uma Enciclopédia Formar. Doze volumes, capa vermelha.
Ele não podia comprar uma Barsa. Era muito caro... rs!
É a vida.

http://mude.blogspot.com.br/2013/05/presentes-do-meu-pai.html

Virgínia Viana disse...

realmente um fato tem várias versões, tudo na vida sempre muito amplo, muito aberto, muito vago, nem a matemática é 100% precisa. Isso as vezes cansa, as vezes queria Sim ou Não. E nada além disso.

twiggy disse...

o espanhol é uma das línguas mais apaixonantes que existem!