29.5.13

o que voce

Agora mesmo, onde você estiver, olhe para os lados. Observe o ambiente em seus mínimos detalhes. Apure a sensibilidade, ajuste a consciência, abra seu coração, respire fundo, olhe para os lados outra vez, e responda-me, sinceramente: — As pessoas com as quais você hoje convive são amorosas, compreensivas, inteligentes, excitantes, audaciosas, livres, saudáveis, brilhantes, honestas, sensíveis, delicadas, independentes, e cheias de entusiasmo pela vida?
— São?!
Pois, se assim não forem, responda-me:
O que é que você continua fazendo aí?

O que é que você continua fazendo aí?!

3 comentários:

Edson Marques disse...

O que é que você continua fazendo aí?!

Reaja!

http://mude.blogspot.com.br/2013/05/o-que-voce.html

Francisco Dalsenter disse...

Exatamente o mesmo pensamento em que você fechou a entrevista no programa provocações.

Edson, as pessoas com as quais convivo na verdade são bem normais. Não reagem muito, não mudam, sempre falam as mesmas coisas.

Meus amigos já não reagem a mais nada. Postam somente bobeiras no facebook, se falam apenas por skype e pensam o pensamento de seus chefes.

Eu vivo dizendo a eles que reajam, mas os pobres coitados nem se dão ao trabalho de ler mais do que quatro linhas do que escrevo.

As pessoas estão virando fast food, não tem mais objetivos claros, trabalham horas à fio sem nem saber o porquê e infelizmente estão se transformando em produtos.

Pois bem, do alto dos meus 31 anos com faculdades e MBAs, já não caio mais na felicidade que querem me empurrar goela abaixo. Vou fazer o que gosto e foda-se o $$$.

Cansei de ser produto e agora começo a produzir a partir da minha essência, começarei a licenciatura em ciências sociais.

Quando a gente enxerga a Matrix, nunca mais deixamos de vê-la. Aí nos damos conta de que o que realmente importa é o conhecimento que adquirimos com o tempo. Conhecimento que é a única coisa que nos transforma em pessoas geniais, interessantes e loucas rsrs

Abraço poeta!

Francisco Dalsenter
http://muitomaisquesonhos.zip.net/

Edson Marques disse...

Meu aplauso a essas tuas decisões, Francisco Dalsenter!
Gosto de te ler!