9.4.13

primeira necessidade

Você pensa que gêneros de primeira necessidade são arroz, feijão, farinha e óleo de soja? Nada disso! Gêneros de primeira necessidade são: flores e estrelas, Amor e liberdade, vinho, tempo e alegria.

2 comentários:

Edson Marques disse...

Acabo de colocar um pouquinho de café nos pezinhos de lírio. Para que os espíritos amorosos que ali vivem sintam o sabor do meu café. Eu costumo repartir com meus amores as coisas que eu gosto. Mesmo que seja um copo dágua, um manjar de bananas, um doce de abóbora. Mesmo que sejam outros amores...

Eu sempre reparto. E já escrevi algo a respeito, que vou republicar depois.

É a vida...

E a vida também tem que ser repartida. Para que não se despedace...

http://mude.blogspot.com.br/2013/04/primeira-necessidade.html

Edson Marques disse...

Reparto tudo: reparto o beijo, o abraço, a lua, o chocolate, o pão e o queijo; reparto o amor e o vinho, as flores e as estrelas. Reparto e compartilho. Tudo. Às vezes, simultaneamente... Reparto, com mais ênfase ainda, a felicidade e a alegria. Porque esse negócio de relação fechada possessiva é lamentável. É uma coisa ultrapassada — pelo menos nas sociedades mais desenvolvidas. Ou, melhor, naquela parte mais desenvolvida das sociedades. E o termo é esse mesmo: "negócio": Aquilo que nega o ócio. Nega o prazer, e nega o amor. Nega a liberdade.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Porque eu... eu reparto tudo!
Exceto, é claro, a minha visão do mundo.
Esta — cada um deve ter a sua.
Exclusiva.

Eis o texto citado acima:

http://mude.blogspot.com.br/2011/07/reparto-tudo.html