8.4.13

logica e poesia

Eu adoro a Matemática desde pequenino. Aos oito anos eu já sabia a tabuada do 15 e a regra de três. Aprendi a descontrolar meu mundo com o Teorema de Pitágoras. Aos dez, já era íntimo de PA e PG e de equações exponenciais. Depois, me apaixonei pela Lógica de modo inescapável. Mais tarde, virei amante excitado da Estatística e da Teoria dos Nós. Vibrei com Fibonacci, e fui fazer computação. Mas tudo isso abraçado a flores e estrelas, e sem jamais abandonar a Poesia. E foi assim, dançando nos versos dos meus sonhos, é que descobri a existência de uma coisa gloriosa, que se chama Divina Proporção. O modo mais brilhante de levantar uma parede ou desenhar uma calçada. O modo mais gracioso de colocar as vogais tônicas nos meus cantos e poemas, e o modo mais elegante de massagear os pés do meu amor.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Hoje eu vou escrever sobre Lógica e Poesia. O quanto Uma contém a Outra — e inversamente. Porém, ainda estou tomando café ao lado da roseira branca e dos pezinhos de lírio. Café que fiz com água benta, amorosamente. E vejo agora, num dos pés de lírio, uma pequenina lesma. Como será que ela chegou até aqui, no sétimo andar? (...) Fui lá fora, observá-la mais de perto. E fiquei pensando: do que será que ela se alimenta? De onde é que retira a glicose e o oxigênio de que seu cérebro precisa?

(Vou pesquisar esse assunto.)

É a vida!

http://mude.blogspot.com.br/2013/04/logica-e-poesia.html

Edson Marques disse...

Ontem à noite encontrei meu Professor Samuel Barbosa no Facebook. Fiquei feliz demais. Cito-o (no meu livro Solidão a Mil e neste blog) como uma das maiores influências positivas que recebi para tornar-me um escritor. Depois eu conto detalhes.

Ygo Maia disse...

A matemática é algo tão lógico, que às vezes nem podemos aplicar no cotidiano. A vida é muito ilógica... Viver é para os loucos!
Parabéns!
Gostei do texto.