28.2.13

entrevista 033

Tudo que é puro merece ter história. A menina emoldurada transformou-se em Joyce Ann, não sem antes ter virado a minha amada Pocahontas. Os bonequinhos ganharam vida na quadra 34 de um mercado de Veneza, e depois sumiram. E o peixinho, que Joelma nos deu e chamava-se Alfredo, foi solto num rio de água doce em Caraguatatuba. Tudo que é livre merece ter história.

7 comentários:

Edson Marques disse...

Os fatos reais baseiam-se naquilo que eu digo. Ainda é madrugada, e a Lua está perfeita. Já fui lá fora acenar pra ela, com a mão esquerda. Eu adoro iluminações complementares.

O texto original, escrito agora há pouco, sem alterar uma vírgula, saiu assim:
Tudo que é puro merece ter história. A menina emoldurada transformou-se em Joyce Ann, não sem antes ter virado a minha amada Pocahontas. Os bonequinhos ganharam vida na quadra 34 de um mercado de Veneza, e depois sumiram. E o peixinho, que Joelma nos deu e chamava-se Alfredo, foi solto num rio de água doce em Caraguatatuba. Tudo que é livre merece ter história.

É a vida!

http://mude.blogspot.com.br/2013/02/entrevista-033.html

Edson Marques disse...

Os fatos reais têm majestade.

sonia k. disse...

Bom dia!
Como não se encantar e amar uma doce Pokahontas, com ar de menina e que foi se transformando numa linda e encantadora mulher, não é?
Não só tudo que é livre merece história, como também tudo o que nos cerca e que, de certa forma, vai se tornando nossa vida.
Por muitas vezes acho que todos nós pensamos em vida com a questão "antes e depois". Antes disso ou daquilo, antes dessa pessoa e depois dela.
Algumas a gente vai deixando pra trás, devolvendo à natureza como o peixinho Alfredo ou os bonequinhos de Veneza.
Outras vão se agregando à nossa vida, se inserindo em nossos dias e transformando-se em nossa história.
E a realidade, querido, é um reino de majestade sem fim.
Tenha um lindo e proveitoso dia.

Edson Marques disse...

Na foto tem o link para a entrevista ao Abujamra.
Se puder, veja.
Flores...

sonia k. disse...

Vi e ouvi a entrevista que postou no face. Comentei lá. Bjs.

sonia k. disse...

Uma ressalva, se me der direito. A Pokahontas continuou lindinha, mas ficou diferente depois que cresceu, não?

Edson Marques disse...

Sonia,

Adorei os três comentários teus.

1. O que "nos cerca" (em quais sentidos?!) tem história, é claro, mas, do meu (exclusivo e privilegiado) ponto de vista, não merece ter história, caso não seja puro nem livre! Portanto, nesse aspecto, eu e você concluímos diferentemente...

2. Espero que a entrevista tenha te feito pensar sobre o hedonismo que, segundo Abujamra, eu proponho.

3. Joyce Pocahontas Ann cresceu, sim. E ficou diferente, claro. Afinal, já tem 25 anos... rs! Não existe Pocahontas de 25 anos! Mas ela continua pura e livre! Com todos os seus amores, é claro! Dia desses vou publicar algumas das milhares de fotos que dela fiz nesses anos todos. Concordo: ela cresceu! E ficou diferente, felizmente... rs!

Flores nesta doce madrugada, em que quatro amigos amorosos acabam de sair daqui.

E estrelas!