3.1.13

inveja

"O coração tranqüilo é a vida da carne; a inveja, porém, é a podridão dos ossos."
Bíblia. Provérbios 14:30
Hoje eu quero escrever um breve texto sobre essa coisa horrorosa chamada inveja. Vou começar alterando uma frase genial de José Ingenieros, para deixá-la mais ou menos assim:
A inveja é o modo mais aberrante de prestar homenagem à superioridade alheia.
Escrevi algo sobre as invejas sublimada, neurótica e perversa. Contudo, ainda estou refinando o texto, pois passei a considerar desnecessária tal classificação. No fundo, toda inveja é essencialmente perversa. Está prevista e condenada nos Dez Mandamentos, e expressa entre os Sete Pecados Capitais. Ou seja: imperdoável por Deus! Ela também é condenada em todos os livros e códigos que tratam da ética nos relacionamentos humanos. Até Shakespeare a colocou no rodapé da moral. A inveja é condenável, em si. Roedores da glória alheia, os invejosos são simplesmente abomináveis.

19 comentários:

Edson Marques disse...

Mas, por enquanto, só quero continuar tomando café (que fiz com água benta) e ficar aqui, vendo os azulões comerem banana e abacaxi. E lendo uma frase que escrevi em 16.08.2012, às 18h33, a propósito da minha tese sobre o espírito atômico: Quando Einstein me dá Razão, eu me sinto elogiadíssimo!

É a vida...

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/inveja.html

Suzi disse...

Olá, Edson...

Sônia e todos!

Passando para deixar-lhes um muito bom dia!

Voltarei à noitinha.

Já estou curiosa sobre o que vai rolar aqui.Percebi que promete...

Saudade.

Beijos.

sonia k. disse...

Bom dia!
Já devo ter tomado uns 4 ou 5 cafés sem água benta mas muito gostoso. Hoje os passarinhos invadiram minha cozinha buscando farelos. Lindos!!!

Ainda bem que a gente pode escolher o Einstein da vida.
Assim, o meu teceu elogios hoje e me senti elogiadíssima!

Depois nos falamos mais, que agora tenho de cuidar da vida rsrs dos outros, não da minha snif snif....
Beijos

Bandys disse...

Oi Poeta e enquanto não vou fazer minha volta pelo mundo, estou aqui pra te dar uma boa tarde. Com cafe e bolinhos de São Francisco.(esse sim, inteligente... protegia os animais)


Invejo a burrice, porque é eterna.
Nelson Rodrigues

Sou mais pelo lado bandydo da coisa, rs!

Beijos perfumados

Lisa libanesa disse...

Boa Tarde , poeta.... enfim....cheguei!!!
Vamos ver agora se este vai permanecer...
Obrigada por sua compreensão... Você é mesmo um cavalheiro...

Desculpe se o incomodei...mas lógo depois meu filho chegou e tudo voltou ao normal!!!!

Quero deixar registrado aqui, mesmo que atrasado, os Parabéns à dona Iracy....e agradecer a ela, por ter colocado você no meu mundo.....

te adoro... poeta!!!

(agora mais contente, por ter resolvido meu problema...rs)

Mil beijos!!!

Eu volto!

Marilis

Lisa libanesa disse...

Muita saúde , paz, e que ela sempre seja feliz, poeta!!!!

Iracy... nunca deixe que as tristezas do ontem, as preocupações com o amanhã, estraguem a felicidade do seu dia de hoje! Feliz Aniversário....desculpe meu atraso...

beijos

Marilis

Anônimo disse...

Genial!!!

Ana.

Suzi disse...

Edson,

Boa noite! Cheguei chegando! Saudade.

Salpicão é muito óbvio nas comemorações de final de ano.

Mesmo com ingredientes que brigam entre si, penso que sua interpretação de tal prato ficou bem interessante. Eu só colocaria um pouco mais de passas brancas de boa qualidade.

•Ingredientes:

Jesus, Ingenieros – nada mais anti-Edson, enfim! – pára-choque de caminhão, café, banana, abacaxi, ser anímico, animado ou animal? Rs... “Almal”? rs... – um bocado de átomos mais lisos, mais delicados e mais ativos que existem, Freud aspergido, pedaços picados grosseiramente de Einstein, alguma bonitinha com ciúmes de você, te aporrinhando as idéias, bem separada nas juntas, sua vontade de chutar baldes e um pouco de “OU” bem dúbio. Sabe qual né? Um metafórico.

Para dar liga, OU você junta meia xícara de maionese, mais meia xícara de requeijão e duas gotas de azeite extra virgem, OU a água benta que estava reservada.

Mexa tudo muito bem, deixe descansar alguns minutos, então sirva!

Voltei seca para ler o prometido: “um breve texto sobre essa coisa horrorosa chamada inveja”, cadê heim?

É a vida, né? Sei...

Ah! Estava me esquecendo, tens aí uma xícara de açúcar para emprestar?



Edson Marques disse...

Suzi,

Depois da frase "minha" e do Ingenieros, pouca coisa se poderia dizer.

Mas escrevi.

Só não disse que is publicar já... rs!

Vamos ao salpicão sugerido por você!
Faltou colocar pólens!

Flores!

Edson Marques disse...

Marilis (Lisa)

Minha mãe mandou (te) agradecer!

Que bom que teu filho te ajudou a encontrar uma saída para os comentários.

Flores...

Edson Marques disse...

Sonia,

Nossos Einstein (Uma Pedra, em alemão) são duros de roer... rs!

Flores!

Lisa libanesa disse...

Querido poeta...

Vim te ver novamente.Eu disse que voltaria, ainda mais agora que você me esclareceu dúvidas...aliás, você nasceu mesmo, para ser o homem que é.Sempre tão educado e carinhoso...com todas as pessoas, sem distinção...Você não existe, menino...passarinho!!!


Beijos


Lisa

Lembra-se do vídeo das 50 questões?

Agora vou convertê-lo num trabalho lindo que aprendi.Ficará um show!!!!

Edson Marques disse...

Bandys,

Tu és Bandyda!

Flores...

Edson Marques disse...

Ana,

Se você se referiu à frase, também acho!

Flores...

sonia k. disse...

Esse salpicão feito a quatro mãos e alguns cérebros, deve ter ficado dos deuses. Também achei que poderia ir um pouco mais de uvas passas brancas embebidas no vinho. Na minha humilde opinião de não cozinheira, acho que a água benta ia desandar um pouco.
Mas ficou ótima com todas as pitadas que foram incluídas.

Como não sou nada tradicional nem tenho muita afinidade com cozinha nos últimos tempos, preparei só um kibe cru com bastante pimenta síria e hortelã do meu vasinho. Quebrou o galho e a fome dos presentes também.

Edson, ontem e hoje no FB v. teve uma audiência (só uma, não todos) muito engraçada.
Uma perfeita salada de abobrinha temperada com muitas misturas. Ri muito.
Aliás, internet é boa companhia pra risos em inúmeros casos. Que bom, né?

Sempre achei que einstein fosse sinônimo de muito sabido ou inteligente, que pensa muito. Isto um amigo alemão me disse em priscas eras. Será que memorizei errado?

Suzi, querida, pode pegar açúcar, sal e o que precisar mais direto aí na minha cozinha. Engraçado quando falei isso agora imaginei minha casinha no campo, tranquila, com a porta aberta, cortinas voando ao vento nas janelas. Pode?

Prazer em falar com vocês e experimentar o sensacional salpicão. E a questão da inveja, querido, quando resolver falar de tão desgastante sentimento, ouviremos com gosto. Aliás v. disse algo sobre ser homenagem à superioridade alheia e por isto coloquei que estou pronta pra ser homenageada rsrsrs

Suzi disse...

Bom dia Sonia! Ah... Oi Edson!

Aceito de bom grado o teu açúcar, acho que já te falei isso aqui antes. Creio que o Edson não tem açúcar para mim no momento.

E se você permitir, já fico logo para um café, daí falar e ouvir. Ouço muito mais que falo (?) e creia, mesmo assim teremos um animado diálogo só pelo pouquinho que te percebi.

E tem mais... nem acreditei quando li a tua descrição da casinha... Li duas vezes a indicação: "MINHA casinha"... pois como digo, você SEMPRE,atira no que vê e surpreendentemente, acerta no que não vê! OU vê?

Descreveu a minha agora casa. Entrei dentro de um destes quadrinhos de feira hippie e estou ficando. Frutíferas, muitas flores, borboletas, tudo quanto é diversidade de pássaros, cores, perfumes e música. Ah! Lógico, as indefectíveis ervas das poções!

Só agora as cortinas estão voando - este foi meu presente de ano novo, abrir portas e janelas - flores em vasos, perfumes da cozinha de se fazer buraco em estômagos e muitos amigos entrando.

Não acredito em felicidade - no sentido de alcançá-la e tomar posse como algo contíuo, não existe, sempre momentos. Como contas de um colar imaginário que só o que temos que fazer, é conseguí-las muitas, todas que der, e amarrá-las próximas, daí a ilusão de continuidade - você e o Edson são duas contas do meu colar. Estou com um colar bem comprido repleto de momentos-contas de felicidade.

Ah! Sonia convide o "sem-açúcar" para o nosso café! Beijos. E ainda celebrando... sei lá o que, só celebrando a celebração.

sonia k. disse...

Bom dia, Suzi!
A casinha que surgiu na minha imaginação acho que é meu sonho embutidinho lá no fundo.
Sirva-se do café, sente, fique à vontade. Vou só pegar o bolinho de fubá com queijo pra irmos beliscando durante o papo que, com certeza, será muito gostoso (mais que o bolo).

Com certeza nosso amigo mais querido logo chegará pra tomar o cafezinho sem água benta mas feito com o coração. E trará as flores pra perfumar ainda mais o ambiente.

V. diz que atiro e não sei bem o que acerto. Acho que são as visões e previsões intuitivas guardadas na alma. Felicidade é feita mesmo de momentos e a gente tem de ir colorindo os colares que a vida nos propõe. Que bom ser algumas continhas do colar que você vai tecendo com a alma linda que tem.

E vamos continuar celebrando com todo o amor do mundo a VIDA que está aí toda pra nós, jogando pétalas pelo caminho pra suavizar e perfumar nossos dias.


Edson Marques disse...

Eu sabia (eu tinha certeza!) de que algum dia na minha vida (algum dia!) eu ia encontrar alguém que tivesse a coragem de me chamar de "O Sem-Açúcar"... rs!

Obrigado, Suzi!

Brincadeiras à parte (ou, melhor: inclusas), aceito o café. Mas eu nunca tomo café que não seja "com água benta".

Se for o caso, eu a abençoo na hora de tomar.
Sempre!


Flores...

sonia k. disse...

Nem o desejo de bom dia...
Que lhe seja bom o café que abençoar.