4.1.13

inexclusividade

A exclusividade não é natural. Não é inerente ao ser humano, não vem gravada no DNA das pessoas. Se alguém diz que me ama, mas quer me controlar — em verdade não ama. Melhor comprar um bichinho de pelúcia, para dizer que é seu. Claro que se alguém tiver algum encanto que me pareça suficiente, eu lhe ficarei eternamente aos seus pés. Eternamente, ou pelo menos enquanto durar o fascínio. Portanto, se saio às vezes para alguns voos livres em vez de ficar no ninho, é sinal que esses voos me são mais engraçados, mais bonitos, mais necessários, ou mais interessantes do que a simples permanência no ninho. Então — como pode alguém culpar-me por ter asas? Desde quando é proibido gostar de voos livres? Olhai os pássaros do Céu...

13 comentários:

Edson Marques disse...

Viva a inexclusividade!
Em todos os Sentidos!

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/inexclusividade.html

Suzi disse...

Marques, Edson Marques.

Passaporte para matar... De amor!

Caro Edson, se você já se apresenta - como presente, que é, como todos somos - desembrulhado, peladinho e com seu coração nas mãos. Não entendo o reforço de sempre.

Adoro tudo, as metáforas, tua erudição, teu carinho, teu-não carinho e até os equívocos... Rs... Beijo!

Esse seu posicionamento, passaporte, passe-livre para caminhar seus caminhos, sua vida. Admiro. Uma vez, isto posto, que somente percorram parte do seu trajeto seres distintos e escolhidos, e também somente aqueles aceitarem você INTEIRO e o seu modus vivendi. Ninguém mais!

Simples como água cristalina. Transparente, cristal, nada escondido...

Qual a dúvida?

Acho muito lindo, seu cartão de visita gritar, antes do seu nome que você está livre de condicionamentos seculares. É uma evolução, realmente. Revolução. Seria o mundo ideal para todos. Quantas dores, tragédias, desperdícios de sagrada Vida e guerras inexistiriam?

Achei uma pena você ter tido a necessidade de postar este seu pensamento... Sentiu necessidade. Pena. Voe seus vôos, todos que te encantar, se abasteça da beleza deles, e volte, divida só um pouquinho conosco. Guarde o cerne para você!

Ah! Senti, um equivoco de interpretação no seu coraçãozinho sobre uma bobagenzinha “nada a ver”... OU quem sabe um dia... um dia!

Beijo grande, neste dia douradaço!

P.S. vou deixar o pc ligado aqui, vez ou outra venho xeretar e/OU reler... rs...

Em tempo, não sou dada a rasgos de elogio nem para Cristo, se ele É, FOI, CONTINUA SENDO, SERÁ SEMPRE... por que uma reles Suzi tem que se dar ao desfrute de fazer isso? Humildemente, meu coração O reconhece e admira.

Afinal, se ELE é DEUS, mora em meu coração sabe tudo que tem lá... Enfim! Mas quero registrar que curto muito alguma deferência tua ao meu ser. Fico feliz. Só queria dizer, disse... Não se acostume!




Suzi disse...

Ah! Anotando...

Proposições para 2013...
gramática...
"estudar as _ _ _ _ _ _ dos pronomes! Todos eles...!

Se pensam que vão terminar o ano ganhando de lavada de mim... estão todos eles enganados.

Humpf!

Edson Marques disse...

Suzi,

Essas coisas eu as repito para os amores novos. Não para os antigos... rs! Ao contrário do que você pareceu querer dizer, não se trata do "mesmo reforço de sempre". Afinal, no controle estatístico de visitantes (sim, o filósofo precisa de dados confiáveis para tomar atitudes, assumir novas posições e fazer seus inclinadíssimos Planos!), eu posso ver que (todos os dias!) aparecem aqui neste esplendoroso blog 93 novos visitantes, em média. Pessoas que, talvez, nunca souberam das minhas posições libertárias. É para essas pessoas (essas!) que eu, amorosamente, me dirijo. Em primeiro lugar. Mas sem jamais esquecer os amores anteriores, como você, a Sonia, a Marilis, a Joyce, a Vera, a Dulce, a Fabiana, a Patrícia, a Suzana, a Alessandra, a Regina, a Carmen, etc. etc. etc.

Aliás, eu sempre supus que meus amores e leitores anteriores compreendam (e apoiem) esse gesto de amor para com os novos amores e/ou leitores.

A propósito, e supondo que mais pessoas possam pensar como você a respeito disso, eu vou criar um quadro ali à direita só para divulgar essa ressalva... rs!

Flores para TODOS nós!

Suzi disse...

Entendi!

Suzi disse...

Edson, sua permissão em me dirigir às suas leitoras... E leitores:

MANIFESTO DAS GATAS DO EDSON, UI!!!:

Meninas gatas pingadas, já que estamos mantendo o Edson refém, sugiro libertá-lo. Libero agora meu teco de Edson. Espero o mesmo de vocês. Rs...

Apesar de que, penso que tem Edson prá todo mundo!

Edson livre já!

Ele é de longe um dos melhores anfitriões que conheci, pois recebe em sua casa até aqueles que o atacam. E ainda consegue não perder a linha. Cavalheiro de boa cepa.

E o mais legal de tudo é que não se deixa pautar. Já tomei umas invertidas dele, e as assimilei com galhardia de bom grado.

Afinal... Quem fala o que quer...

Ah! Uma diferença fundamental, eu assino meus comentários.

Lance de caráter e coisas do gênero. Se é que me entendem.
Logicamente que me entendem, todas vocês assinam!

Bora então largar do Edson... Deixemo-lo voar... Voe Edson, voe...

Suzi disse...

Sonia, bom dia! Oi, Edson...

Vou te plagiar... "Falemos de flores, de versos, de liberdade, de mudança..."

Venho te convidar a não mudar nossa platéia para outro palco. Fiquemos perante o palco do Edson.

Ah! E o Gustavinho era para mim mesma... Aqui, na minha casa. Eu e ele, dividir um jantar, o vinho e impressões. Não desejaria nada desconfortável para o rapaz...

Beijos.

Gabriel disse...

Bom Dia, ou boa madrugada , poeta!
Quando chego aqui, é como se em um jardim me adentrasse.
Voos de borboletas entrando e saindo, colorindo seu mundo, um lindo arco íris em plena madrugada resolve surgir, atrás daquele morro onde o pico se mostra interessante e chamativo....
Mudar sempre é bom mesmo, nem que para isso a gente sofra um pouco.Mas é só no começo...depois que a lagarta sofre para deixar as asas, elas se tornam lindíssimas borboletas...
Teu blog é um grande livro, colorido, cravejado de flores...é um céu onde venho buscar a paz...e sempre a encontrei....é a luz que iluminada vidas ...é sonho onde realizo meus desejos de ser humano que sou...


Te amo, poeta!

Voltarei!


Lisa
Marilis

Suzi disse...

Edson,

Lindo dia para você, Sônia e todos seus amigos...

Sobre tuas idéias libertárias, sobre você voar... E coisa e tal.

Na minha formação escolar não peguei as disciplinas de Filosofia e Sociologia. Tenho amigos bem madurinhos que sim, tiveram este privilégio. São pessoas distinguidas. Ricas, que sabem se colocar em sociedade e o melhor de tudo, sabem como ninguém, Viver a Vida, e deixar Viver!

Como isso faz falta! Maldigo todos (eu disse: todos!) os governos que acachapam a educação.

Não sei em que nível, mas estas disciplinas voltaram à grade. Apenas que vai demorar um carrão de tempo para ser notada alguma evolução na mediocridade que graça á céu aberto. Pena! E os mestres, estarão preparados para tão nobre missão?

Considero ser crime hediondo limitar a educação de um povo.

Muitos de nós saberíamos hoje, que não precisa ser “insustentável, a leveza do ser”. Melhor que isso, mais valor seria dado ao “ser” depois ao “ter”.

Em disciplinas eu acrescentaria ainda: a relação humana com a energia do dinheiro - produção de empreendedores de suas próprias vidas, o ecumenismo, e uma nova abordagem na maneira de ver e sentir a Natureza. Inserindo a criatura Nela.

Tudo isso temperado com a metodologia do Paulo Freire, ou seja, vamos alfabetizar? Vamos. Mas de maneira lúdica, enfiando aí o cotidiano, as inquietações de cada um, abrindo um leque imenso a partir da primeira vogal, “a”! Partindo, sutilmente do micro, em busca do macro. Abrindo o olhar de um único indivíduo, de si para o mundo. Um leque.

Cada um dos pupilos, certamente, sairia das aulas com uma “cosquinha” danada de se descobrirem, quem sou eu? O que eu quero? Eu posso! Quer coisa melhor que isso?

Ao serem perguntados: Quem é você? O que quer? Saberiam. No mínimo, no mínimo, “não tomariam ônibus errado”.

Sabe o que mais, daí então, aqueles que te lêem, te compreenderiam em profundidade, entenderiam as origens dos teus pensamentos. Enfim... se posicionariam com fundamentos e base.

Eu só queria dizer...

sonia k. disse...

Bom dia, amigos queridos!
Ainda talvez respondendo ao que v. colocou mais acima, depois que se conhece o Edson, é difícil deixar de fazer parte de sua platéia. Eu deixaria, com mágoa, se ele me excluísse de suas relações ou me fizesse entender - gentilmente - que o desagrado com meus comentários ou participação.

Quanto à questão de educação/formação nas escolas, deixam muito e muito a desejar atualmente.
Minha mãe queria muito e até chorou quando eu não quis cursar a faculdade de filosofia. Eu era jovem demais e no meu conceito da época, mais importante era ir trabalhar pra conseguir minha emancipação e liberdade. Hoje acho que eu seria mais e muito mais completa se tivesse feito o que minha mãe queria.
Pra dizer a verdade sempre disse que não me fez falta cursar uma faculdade. Talvez porque tenha me realizado muito profissionalmente e porque sempre fui apaixonada por leitura (sobre tudo, todos os temas...).
Talvez porque recebi um dom de fazer uso das palavras, escrevendo ou falando, que me beneficiou pela vida afora em todas as minhas necessidades. Talvez ainda pela convivência com muitos que cursaram e que mal se articulavam em quaisquer das formas.
Talvez - e muito - porque também tive o privilégio de conviver com outros, de cabeças e pensamentos belíssimos que me encantaram e acatei suas "aulas".

No tempo em que estudei (não gosto de falar "no meu tempo..." rsrs), a formação era muito mais profunda. Não fazia parte da grade de ensino a filosofia, sociologia, psicologia, relações humanas e outros que hoje receberam nominação. Mas de tudo era ensinado um pouco, fazendo parte do básico do ensino.

Concordo que hoje o ensino é péssimo, sem conteúdo, sem objetivos sérios de formação. Os próprios professores, infelizmente, já chegam sem conteúdo real pra transmitir. Converso muito com jovens e pré-adolescentes que frequentam minha casa. Fico com pena dessa turminha que está chegando. E vai ser difícil que eles entendam e possam vir a absorver.

Questões "quem sou? o que quero? pra onde vou?" são tão estranhas pra todos eles
que me olham espantados e comentam rindo que sou muito esquisita e falo muito difícil...

Agora, sem "babação de ovo" (como dizem atualmente, não?), entender, posicionar-se com fundamento e base sobre todas as questões que o querido Edson coloca, acho que é algo que vai bem além de quaisquer ensinamentos adquiridos em escolas. Por ser privilegiadíssimo, tem uma capacidade de absorção do que aprendeu na teoria para juntar com a vivência e sentimentos, que é totalmente fora do que podemos notar ou ver na grande maioria. No meu conceito, ele é um entre poucos se considerarmos a legião que habita este planetinha.

E a gente vai falando...sentindo...expondo... Um privilégio pra mim conviver com vocês todos (amigos e "inimigos" rs do Edson) e poder ouvi-los e senti-los cada qual em sua forma de expor.
Beijos, pequena Suzi que gosto tanto de ler.

Ao Edson, parabéns pra nós, considerados seus amigos, pela linda convivência que nos proporciona dia a dia.

Suzi disse...

Sonia querida!

Muita verdade em suas palavras.

Aprender sempre! De tudo podemos tirar um ganho.

Esse ganho de saber, "fiodamãe" nenhum nos tira nunca mais.

E acredito que o enriquecimento na sua educação tem mais valor, pela espontaneidade, sem cobranças e competição. Pela iniciativa!

Beijos.

Rosângela Cunha disse...

Texto lindo de viver... Levei lá pra minha casa agorinha, vê lá. Beijo, te amo!

Edson Marques disse...

Acabo de falar com minha Mãe.
Em todos os Sentidos...
Flores para ela!