30.1.13

filhos

Quando os pais não defendem a própria Liberdade, e não ensinam o seu filho a dizer "não" — nem lhe permitem o sagrado direito de fazer escolhas — ele se tornará um bichinho obediente. Talvez comportado, mas não criativo. Digno de dó. Vai demorar para aprender a tabuada do sete. Aceitará tudo o que lhe diz o pastor, e jamais questionará os professores. Vai seguir sempre o que lhe manda a namorada. Terá medo de tomar decisões. Será subordinado a chefes autoritários, e provavelmente vai se casar com uma mulher ciumenta e de pouquíssima cultura. Assumir riscos estará sempre além da sua capacidade. Viverá com o rabo no vão das pernas pelo resto da vida. Não terá brilho nos olhos. Jamais será um líder.

Se você tem filho — ou é um — pense nisso.



Quando os pais não valorizam a própria Liberdade e não ensinam sua filha a dizer "não" — nem lhe concedem o sagrado direito de fazer escolhas — ela se tornará uma mulher submissa, sem graça e sem criatividade. Terá dificuldades em calcular o troco, e aritmética e xadrez lhe parecerão coisas do outro mundo. Aceitará tudo o que lhe diz o padre ou o pastor. Também não questionará seus professores. Será do tipo que usa coleira perante os namorados. Terá medo de qualquer mudança radical em sua vida — e talvez arranje um marido ciumento, babaca ou opressor. Caso não vire apenas uma dona-de-casa desanimada, talvez consiga um empreguinho de segunda no subúrbio. Viverá de cabeça baixa pelo resto da vida. Jamais será independente.

Se você tem filha — ou é uma — pense nisso.

10 comentários:

Edson Marques disse...

CRIANÇAS SÃO PEQUENOS DEUSES: RESPEITE-AS!

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/filhos.html

Edson Marques disse...

Depois escreverei sobre o que acontece com as filhas...

sonia k. disse...

Bom dia, amigo querido.
Tenho de discordar um pouco de v. nessas colocações sobre criação. Dizer "não" é coisa que aprendem rápido, até sem ensinar. Criatividade, questionamentos, falta de subordinação, creio que já vem no genes. Realmente se consegue direcionar um pouco, mas cada um é cada um. Liderança se aprende na vida, sabendo usar da inteligência e sensibilidade.
Mas é outro assunto que teríamos horas pra discutir e chegarmos à conclusões.... ou não.
Tenha um lindo dia.

Ana Carla disse...

A culpa é sempre da mãe, né?

Edson Marques disse...

Sonia,

Eu disse "ensinar o seu filho a dizer Não!".

Eu não disse "aceitar o Não que o seu filho diz"...

A diferença, nesse caso, é crucial. E devo lembrar que sou discípulo de Anton Makarendo e Paulo Freire.

Flores pedagógicas!

Anônimo disse...

Aguardo para ver o que vc pensa sobre a educação das meninas...
Gostei!!!

Ana S.

sonia k. disse...

Desculpe, mas tenho de responder. Entendi bem seus conceitos e conheço as teorias dos citados.
Também acho que devemos educar os filhos com respeito, dignidade, senso de coletividade, visão do mundo em que vivemos e teremos de conviver.
Mas, muitas vezes na minha vida, desconjurei todas as teorias e ensinamentos e desejei ter uns livros bem "gordos" de psicologia ou pedagogia pra dar na cabeça de alguns por aqui. E juro que não estaria infringindo lei de agressão a menor (rsrs). Só estaria extravasando o limite de minha paciência (e olha que sempre tive muita).
Aqui são todos desobedientes por princípio, altamente criativos, questionadores da vida, do mundo, de Deus.... enfim uma família "quase" perfeita.
E uma mãe que de vez em quando se pergunta: por que só casamento tem divórcio?

As teorias, como já discutimos antes, são ótimas. Na prática a situação se complica. Mas até um certo ponto da vida. Depois seguem seus rumos com todos os defeitos e qualidades que lhes são inerentes. Grande beijo.

Edson Marques disse...

Ana Carla,

Não acho que a culpa "é sempre da mãe". Talvez seja, mas apenas na medida em que ela não soube escolher o pai... rs! Entretanto, a educação dos filhos, suponho eu, é de responsabilidade compartilhada, entre pai e mãe. Se há casos em que um é melhor (o pior) que outro? Sim, há.

Flores...

Edson Marques disse...

Sonia,

Sim, concordo, em termos: algumas teorias são ótimas. Afinal, toda prática requer uma teoria antes! Sem teoria não há prática. Sei que estou falando o óbvio, mas não resisti... rs!

E ainda estou teorizando sobre educação de um filho. Só depois de bem fundamentada a minha teoria é que passarei a cogitar em ter um filho. Um.

É a vida...
Flores!

Edson Marques disse...

Ana S.
Publiquei o texto sobre as meninas.
Espero agora tua crítica.
Flores...