28.1.13

doce chamado freud

Os acontecimentos só são mensuráveis no seu próprio tempo. Nem antes, nem depois. Minha mãe faz um doce chamado Freud. Leva Maizena, clara de ovos novos, banana caturra, calda de açúcar fino — e traz alegria e lembranças. Uma delícia. Amo-a, tanto, que às vezes fico bêbado de mãe. De tanto que a tomo nos braços em arco que me embriago dela por mim. E sempre me acordo no interior, mesmo quando viajo para fora. Mas há dias em que me acordo duplamente no interior — como hoje. Estou na casa onde nasci e sinto cheiro de café. Um galo, índio, de cristas excitadas, canta dentro de mim, bem longe, como se cantasse na minha infância. Ouvi tanto esse galo cantar que já lhe sei o co-co-ri de cor...

3 comentários:

Edson Marques disse...

Acabo de ver minha Mãe. Amorosamente. Os passarinhos já começaram a cantar por aqui também, e os lírios aguardam sua dose diária de água benta. Já respirei Yoga, e já tive uma ideia nova: a de número 321. Daqui a pouco eu e o Sol faremos um café. Deliciosamente.
PNNMNJANMPNPEEM.
http://mude.blogspot.com.br/2013/01/doce-chamado-freud.html

sonia k. disse...

Bom dia!
Sabe que esta questão de mãe é algo que fica mesmo encravado pra sempre em nossa alma?

Tive a graça de até os 58 anos ter a minha comigo sem nunca termos nos separado nem fisicamente.
Nos últimos anos dela ríamos muitos de coisas do passado e eu lhe contava coisas de mim que ela nem sabia ainda e é inesquecível o jeitinho que ela colocava a mão na boca naquele gesto de espanto e dizia: menina, você teve coragem de fazer isso?

E ríamos dos fatos. Então ela já tinha pra lá de 90 anos.
Hoje, todos acham que estou a cada dia mais parecida com ela no físico, nos gestos, nas boas risadas e por que não, até nas implicâncias rsrsrs

Cheiros é algo que sempre fui ligada. Cheirava o travesseiro de meu pai quando ele viajava, até hoje sinto o cheiro de minha avó Maria (se foi quando eu tinha 10 anos!)e digo que ela deve estar por aqui me olhando.
E, muitas vezes, passo pelo corredor do meu quarto pra copa e meu neto diz que deixei o cheiro da Vó Inez.
E, por vezes, chego em algum lugar e sinto o cheiro de minha classe do Jardim da Infância... pode?

Enfim, a gente é feito de uma mistura saudável e carinhosa de lembranças e amor. De verdade uma delícia!

Lindo dia pra você.

Edson Marques disse...

Para mim, todo momento é uma oportunidade — de criar, de sonhar, de inventar alguma coisa. De ter uma ideia, de dar um abraço, ou de fazer amor. De tomar um vinho, ou de tomar um sol. Para mim, toda ocasião é uma chance única de viver a vida. Toda ocasião é uma festa. Desperdiçá-la seria um pecado. Aliás, como dizia meu bisavô, o único crime que não tem perdão é desperdiçar a vida.

Vou republicar esse texto.