18.1.13

deuspertador

Deus é o maior despertador. Ou você só usa daqueles que fazem barulho e têm ponteiros? Mesmo digital, esse que só marca o tempo só acorda o corpo... Precisamos é de um Despertador que acorde a Alma. Que desperte o Espírito para essa grande aventura chamada VIDA.

8 comentários:

Edson Marques disse...

Hoje pretendo ampliar um raciocínio que expressei numa frase de ontem:

A vida é livre. A morte, não.

Porque a vida, para existir, não depende da existência da morte. Mas a morte, só pode existir se a vida se for.

Acho que é isso. Por enquanto.

http://mude.blogspot.com.br/2013/01/deuspertador.html

Edson Marques disse...

Hoje eu acordei às 03h33. Para mim, acordar é voltar de um sonho. Voltar de um lugar chamado Sonho. Uma região desconhecida — mas maravilhosa. Tenho até a impressão de que é nesse período que comungamos (forçosamente) com o Todo. Uma tese minha, que pretendo ainda refinar.

sonia k. disse...

Não me apetece pensar sobre a morte, mas acho que ela é livre o suficiente pra engolir a vida sem aviso prévio.
A vida é livre, mas à medida em que se vai conseguindo libertar-se das amarras que costumam envolvê-la. E perde a liberdade quando o desembocar é tão somente a morte.

Peço licença pra repetir meu conceito já emitido ontem.
E complemento com a questão de como pode uma vida ser livre se tem destino certo?

Acordar é sempre um retorno à vida, mas às vezes os encontros nos sonhos são tão Divinos que até dói o retorno.

Tenha um dia de sonhos reais.

sonia k. disse...

Com sua licença, uma postagem que fiz hoje:
http://nonnabuka.wordpress.com/2013/01/18/despertadores-para-a-vida/

Suzi disse...

Boa tarde melífluo Edson!
Boa tarde a todos.

Um amigo me disse: “Acordei nos dois sentidos”.

Creio que sobre Deus ser nosso despertador, seja mais ou menos isso, a possibilidade de acordar a todos em todos os sentidos.

Prestar atenção e acordar. E o Seu relógio são sinais constantes. Perceber. Acordar.

A vida é livre. A morte não.

Preciso saber o que é vida, antes. Para mim:

VIDA É UM exercício diário com a intenção do objetivo inalcançável. Ou seja, exercício e ETERNO APRENDIZADO, na beleza, na bondade e no amor, na dureza e na determinação. E o melhor de tudo, é o tudo de bom que isto nos traz. Tanta coisa!

Ser bonzinho por que Papai do Céu mandou? Não. Por inteligência mesmo, por saber observar, pelo aprendizado, acerto e erro. O Universo te diz, seja bom, receberá coisas boas, seja burro e se ferrará – Aliás... Simples causa e efeito.

“Viver!
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...”

A vida é livre?

A vida é, também, subjetiva. Se você diz que tua vida é livre, então ela é livre. Mesmo que eu discorde. Mesmo que sinta que não é, mesmo que te diga da determinação para vencer a dureza. Dos compromissos que te amarram...

A morte não é livre?

Deus que me livre!

Mas... Ele não livra. Nunca nos livra.

A morte carrega a fatalidade. Chega para tudo e todos. Anda de mãos dadas com a vida. A sua hora chegará, nada precisará ou poderá fazer para mudar esta condição, logo é livre de tudo. Nada por desejar, nada por conseguir... Seguir. É livre. E traz além da fatalidade, a libertação...

Portanto, discordo.

A vida não é livre.

A morte, sim, é livre.

Ou não... Sei lá... Sabes tu? ELE sabe.

Aqui ó Edson, se você postar a questão sobre quem nasceu primeiro, se o ovo ou se a galinha, eu juro que vou aí, heim!

Lisa libanesa disse...

A vida é livre, porque ela vai além da morte....


Beijos, poeta!

Anônimo disse...

A morte liberta.

Tamara Queiroz disse...

Lindo isso, poetor. Justo eu que estou cá consertando meu despertador...

..

Quantos comentários bons. Boas expressões!

Beijos meus