21.12.12

sorte

Sonhei que a Sorte era um cachorrinho, um vira-lata zen, fiel e amoroso, que me acompanha para onde quer que eu vá. E que vive fazendo festa para mim...

5 comentários:

Edson Marques disse...

Tem dias em que a madrugada me acorda, e tem outros, como hoje, em que eu mesmo acordo a madrugada. Como sou descendente direto de Leonardo da Vinci, tenho esse direito de inverter as coisas. E também sonhar com esse cachorrinho lindo chamado Sorte.

Meu sonho é meu Oráculo.

É a vida.
PNMMNJNMPNPEEM.
http://mude.blogspot.com.br/2012/12/sorte.html

Ana Carla disse...

Sorte abana o rabo pra mim, também! Beijo!

Suzi disse...

Eu sei que você fez no verão passado.
Queria nem saber tanto.
O mesmo que está fazendo agora. Ao exibir seus pensamentos, que além de recheados de intenções, segundas, primeiras e terceiras, subliminares e até as descaradamente previsíveis, faz algo mais. Ah! Lembrei-me... Evangelho.
Eviscera sem compaixão as palavras. Não se satisfaz que fiquem onde e como você as colocar, e de boa paz elas ficam. Não se satisfaz que, como água, tomem sempre o formato que você lhes decidir impor. Obedientes na sua natureza de palavra, vão, ficam, são.
Pensa que não vejo? Mas não, você abre a barriguinha delas, retira o que pode, e espalha. Distribui, aqui, lá e acolá. E ainda usa a carcaça. Multiplica um pão.
Menos mal para você, que esta estripação toda resulte bem. Rabos de salamandra, todas se regeneram.
Exemplo, esse papo todo de cachorrinho... Logo, logo, vão te pegar no colo... Afinal é natal, coisa e tal... Mas, ninguém vai captar a sua real intenção canina. Ou, sim... Rs... Seria contraditório confessar... mais rs... e mais..rs...
E um muito bom dia a você e a todos.
Decembrices enchendo o saco! Fazer o quê? Tentei reagir o quanto pude, rendida estou indo submeter-me. Sorte. (Tô sabendo)


Edson Marques disse...

Ana Carla,

Sim, a Sorte vai abanar o rabinho e fazer festa pra você, também.

Flores...

Edson Marques disse...

Suzi,

Gostei (muito!) desta parte do teu comentário:

"Eviscera sem compaixão as palavras. Não se satisfaz que fiquem onde e como você as colocar, e de boa paz elas ficam. Não se satisfaz que, como água, tomem sempre o formato que você lhes decidir impor. Obedientes na sua natureza de palavra, vão, ficam, são."

Teus comentários, refinadíssimos, tem corte, fio, lâminas que são.

Flores...