28.12.12

abandonar tudo

Paul Valéry abandonou a poesia por vinte anos e passou para a matemática. Pitágoras abandonou a Grécia, e depois de trinta anos viajando voltou como sacerdote egípcio. Rimbaud largou tudo e foi ser comerciante de armas na África. Henry Miller, idem, com cinco dólares no bolso foi para a Europa, onde ficou dez anos, apaixonou-se por muita gente e escreveu seus melhores romances. Dizem que até Jesus abandonou tudo para subir aos Céus...
E você — quando é que vai abandonar tudo pra fazer o quê?

15 comentários:

Edson Marques disse...

Nem todos que saltaram profundo chegaram lá. Mas, com certeza, quem não saltar, jamais chegará.

É a vida...

http://mude.blogspot.com.br/2012/12/abandonar-tudo.html

sonia k. disse...

Vontade de abandonar tudo já tenho faz tempo e digo isso quase diariamente.

Pra fazer o que?

Só o que gosto... viver só minha vida por mais que possa parecer egoísta... ficar lendo o que me interessa, ouvindo as músicas que me agradam... sem interferências, sem opiniões...

E até ficar sem fazer NADA!
Olhando o céu, escutando pássaros, falando pouco, ouvindo seletivamente. Acho que todos deviam um dia poder parar... mudar... saltar profundo...ou não.
Até o dia que chegar de subir aos Céus e falar mais de perto com Jesus. Acho que então teremos diálogos intensos e vamos rir muito de tudo o que se passou de bom e ruim e vamos lembrar de cada detalhe de nossa passagem por este Planeta.

Bandys disse...

Largar tudo e sair pelo mundo afora,
conhecendo outras culturas, começaria por Israel, quem sabe eu não subiria aos céus....


Passando para te desejar um super 2013, muitas surpresas boas, amores e liberdade sempre,

Beijos

Suzi disse...

Sobre mudar. Algumas vezes, a Vida, as circunstâncias e seres de maus bofes, te forçam a mudar. Tiram de você tudo e um pouco mais. Daí, você compulsoriamente, tem que se reinventar. Sobrevivência. Bela oportunidade de escolhas. E eu, no meu humilde quadrado, penso que o quê o Edson propõe, deve sim, começar obrigatoriamente pelo desapego. Tenho sido obrigada a passar por ele. Peguei gosto geral. Resultado: a descoberta de um novo mundo além do mundo. Aprendi algo muito importante, pintou problema – sempre pintam! – primeira pergunta, o que posso fazer? Descabelar-se já seriam dois problemas. Escolho um só. Digo mais, sobre desapego, sobre sentir-se leve, sobre colocar a cabeça no travesseiro e só ter bons pensamentos, se a Vida, as circunstâncias e os tais seres de maus bofes soubessem da alegria ininterrupta que se apoderou de mim, devolveriam tudo. No thanks!
E sobre o questionamento do Edson, abandonar tudo para fazer o quê? No meu caso muito particular, estou no firme propósito de, primeiramente, ficar inteira, quero ir lá onde eu estou, vou antes de tudo me encontrar. Penso que você sendo inteiro, é livre também. Quanto mais liberdade tanto mais pessoas e situações que te acrescentem você poderá atrair.
Mudar, para mim, é um processo. Com transição e etapas. E cada um tem o seu tempinho “x”.

Edson Marques disse...

Sonia,

Uma provocação amorosa:

Se você tem a vontade de largar tudo "já faz tempo", então por que ainda não a satisfez?

O que te impede?

Vai esperar o quê?

A volta do Messias, ou um novo Big Bang?... rs!

Flores!

Edson Marques disse...

Ah, ainda pra Sonia:

Se for para ficar fazendo NADA, convide-me.
Aceitarei.

Edson Marques disse...

Bandys,

Por que não vais para Israel, então, imediatamente, em vez de ir para esse lugar para onde você diz que foi?

Também uma provocação amorosa... rs!

Flores!

Edson Marques disse...

Suzi.

Irretocável, esse teu texto. Tanto que, nele, vi um conjunto brilhante de frases que até poderiam ser minhas. Ou de Jesus. Ou de qualquer outro grande Mestre... rs!

Estas:

Aprendi algo muito importante, pintou problema – sempre pintam! – primeira pergunta, o que posso fazer? Descabelar-se já seriam dois problemas. Escolho um só.


Sim, o desapego.

Esta é a única saída honrosa e inteligente.

Sim, de novo: a mudança, realmente. é um processo. Lembra-se daquela frase inicial do meu poema Mude?

Acontece que tem gente que DEMORA muito. E a morte acaba chegando antes. Caso dos meus dois irmãos, que morreram nos últimos 24 meses, ambos quarentões...

É a vida!

Edson Marques disse...

já que falei nos meus dois irmãos que morreram, eis um dado significativo:

Enquanto eu comprava carros conversíveis para gozar a vida, eles construíam suas segundas casas. Porque precisavam de solidez, e eu só queria ser flexível. Enquanto valorizavam a liquidez, eu apenas fluía. E isso fez toda a diferença...

Escrevi um texto sobre isso. Se o encontrar logo, publicarei novamente aqui.

Flores para todos nós!

Suzi disse...

Carro conversível?!!
Só falta dizer que era um(a) Puminha, cor branca, com capota preta? Veja você, tão profundo teu comentário, e eu... Fazer o que, tive um(a) e adoros carros, antigos, novos, super-esportivos, design... é pecado?

sonia k. disse...

Nada é pecado do lado de cá do Equador, imagine design e gosto por carros antigos e lindos...

Não larguei tudo AINDA porque não consegui passar a bola de mola mestra deste teto que habito rsrsrs

Não fazer nada já consigo e bastante. Estou tratando de fazer cada vez menos rsrsrs

Big Bang acho que não vai dar pra esperar. Agora o Messias já falei que vou chegar e teremos altos papos sobre nossa passagem por este planetinha e vamos ainda rir muito da brilhante bagagem que ele levou e eu da minha, humildemente.

Edson Marques disse...

Não era Puma, não. Quando eu comecei a adorar carros conversíveis, década de 1990, o charme era o XR3, da Ford. Belíssimo. Tive vários. Os importados (Audi, etc.) eram muito caros. Eu não gosto de carros antigos, com uma exceção: alguns Mustang.

Terei outros logo mais.

Edson Marques disse...

Mola Mestra Sonia,

Passe o bastão!

E vem pra cá, tomar um vinho e fazer nada...

sonia k. disse...

Não tente o diabo, querido!
Convite sedutor....
Bjs

Bandys disse...

Amore mio,
Porque aqui é trabalho, preciso vender aqui e arrumar alhum pra ir... Cê não sabe de alguem que queira comprar?? terras do tempo do além?? hehehe

Mas eu sou corajosa.

Beijos