8.11.12

jose aristoteles

Em agosto de 1998 publiquei meu terceiro livro: Manual da Separação. Nas suas 160 páginas procurei demonstrar o quão Existencialista eu sou. O primeiro capítulo começava assim:
Aristóteles Sócrates Kierkegaard é o meu nome, mas eu geralmente minto que é José Proença só prá impressionar... Sou na verdade um motorista metido a escritor, e é por isso que tudo que escrevo parece filosofia de para-choque de caminhão. Mas são artes do meu ofício: ninguém vai além dos seus limites: durante o dia — perto da polícia — não passo nunca de oitenta por hora. Mas à noite, sozinho na estrada da vida, ponho meu Scania inteiro na banguela, e vou a mil...

3 comentários:

Edson Marques disse...

Esse livro foi reeditado agora com o nome original anterior: Beijos no Céu da Boca. E ampliado para 240 páginas. Mesmo assim, não suponho que serei compreendido... rs!
http://mude.blogspot.com.br/2012/11/jose-aristoteles.html
É a vida!

sonia kahawach disse...

V. é uma luz que brilha intensamente. Ser compreendido é só um detalhe. Eu ainda repito que gostaria muito de ter seus livros. Daniela é real? Se for, ela não me escuta nem responde.
Creio que na banguela a mil é que chega a toda essa sua inspiração. Carinhos

Edson Marques disse...

Sonia,
Daniela é real. Tanto, que segunda-feira irei a SP verificar in loco os contatos (sem resposta) que você e outras pessoas devem ter feito. Algo errado aconteceu, embora eu compreenda (e adore!) o excesso de pedidos!

Flores...