17.11.12

botao fruto

Ao ver agora a flor que desabrocha eu me pergunto onde está o botão que aqui havia ontem. E sei que amanhã, ao voltar, verei um fruto novo — e também perguntarei onde estará a flor que aqui havia hoje. E no dia seguinte, matarei a minha fome comendo as formas resultantes do novo fruto da poesia nova. Mas não é nada: é só Deus me alimentando de flores e botões.
Inspirado em Hegel.

9 comentários:

Edson Marques disse...

Inspirado em Hegel.
http://mude.blogspot.com.br/2012/11/botao-fruto.html
Sem Hegel não haveria Marx. E sem Marx não haveria Edson Marques.
Teoria do Acaso.
E sem mim não haveria o café que farei daqui a pouco. Nem os sanhaços comeriam a banana que lhes darei...
Etc.

sonia kahawach disse...

Edson Marques existiria independente de Marx ou qualquer outro, pois cada um nasce com seu brilho próprio.
Assim como os sanhaços continuariam existindo mesmo sem comer as bananas que tão carinhosamente coloca pra eles. Não fossem nossos ancestrais, então não estaríamos aqui e não emitiríamos o brilho de nossas estrelas.
Tenha um lindo dia de carinhos e flores.

Edson Marques disse...

Sonia,
Vamos deixar o Marx de lado, por uns momentos... rs!

Mas, quanto aos sanhaços daqui, tenho (neste caso) certeza absoluta: sem mim, eles não teriam se acostumado a vir aqui nesta sacada, e seguramente não teriam comido a banana que lhes dei. Exatamente aquela. Pois a probabilidade de que aquela banana (saída lá não sei de onde) poderia vir exatamente aqui, na feira em que por acaso passei, etc. -- essa probabilidade é, estatisticamente, zero.

E sem você, eu não estaria raciocinando sobre isto, neste momento.

Só para te dizer que amo a dialética. E tenho que valorizar a tese que defendo no livro Teoria do Acaso... rs!

sonia kahawach disse...

Teoria do Acaso, outro livro seu que gostaria de ler. Até porque já lhe disse que não creio em "acasos". Sempre acho que pra tudo existe um motivo, mesmo que não revelado de imediato.Lógico que acabamos por usar as palavras "acaso" e "coincidência", porque fazem parte do vocabulário usual. Mas sempre que as uso me vem a dúvida interna: isso existe?
E você começou a colocar a banana na janela para um dia, quem sabe, ter o prazer de ver os sanhaçus retornando, mesmo que não tenha sido um gesto pensado naquele momento.
Meu Deus, do nada e o papo vai longe......
Muitos sonhos no caminho.

Edson Marques disse...

Fui comprar as bananas e só cheguei agora... rs!
São 20h47.
Passei numa festa (por acaso),comi churrasco, e sempre me lembrando dos sanhaços. Ofereci a eles (mentalmente, e transformados em bananas) alguns nacos de picanha gordíssima. Deliciosíssima...

É a vida!

Edson Marques disse...

Comi churrasco com o Paulão, o Andreas, o Zé, o Rafael, o Du...
E algumas mulheres cujos nomes não perguntei... rs!

Crista disse...

Postei teu endereço no meu facebook.
Beijão...

sonia kahawach disse...

Não é só a vida, querido. É a vida em liberdade total. Sai pra comprar bananas, acaba num churrasco, deixa com fome os sanhaços e volta feliz da vida. Melhor que isso só o cafezinho que acabei de coar e que estava morrendo de vontade.
Carinhos e estrelas pela noite afora.

Edson Marques disse...

Mas os sanhaços também ficaram felizes.
No seu tempo...

Trouxe-lhes as bananas.
No meu tempo... rs!


Flores!