21.9.12

murada da ponte

Há dias em que nos debruçamos na murada de uma ponte e o rio nos chama, não para a morte — que é sempre ridícula — mas para a vida, como se as águas tivessem mãos que nos acenam, nos chamando para fluirmos com elas em direção ao oceano das aventuras infinitas.

2 comentários:

Edson Marques disse...

Não há alternativas melhores que o salto profundo.
E fluir com as águas...
http://mude.blogspot.com.br/2012/09/murada-da-ponte.html
É a vida.

Edson Marques disse...

Sócrates. D. H. Lawrence. Baudelaire. Montaigne. Timothy Leary. Artaud. Nietzsche. Oscar Wilde. Sartre. Leonardo da Vinci. Jesus. Botticelli. Buda. Mozart. Einstein. Picasso. Meu Deus! Esses loucos todos me inspiram para sempre. Eu não vivo mais sem eles!