16.9.12

fluir alegremente

Tornar-se desnecessário e desapegar-se de tudo e de todos, do corpo e do espírito, amar o amor e a liberdade, fluir alegremente como um riacho cantante — não são invenções minhas. Os mestres todos, zen, budistas, orientais, todos eles, Jesus inclusive, até os gregos antigos, pregam essas coisas há séculos. É só uma forma saudável de viver a vida... Aliás, a única!

4 comentários:

Edson Marques disse...

Acabei de escrever a frase lá do cabeçalho:
"Nos últimos três meses, minha vida mudou da água para o Cabernet Sauvignon..."
A mais pura verdade!
E agora estou aqui, tomando café que fiz com água benta. Ao lado dos pezinhos de lírio, e ouvindo pássaros.
É a vida!
http://mude.blogspot.com.br/2012/09/fluir-alegremente.html

Ana Carla disse...

"Saudável", disseste bem!

Edson Marques disse...

"Todos estamos condenados à morte", disse o Buda Shakyamuni. Sim, concordo. Acontece que, antes disso — e também de modo inescapável — TODOS ESTAMOS CONDENADOS À VIDA!

VIDA E LIBERDADE disse...

Enquanto houver vida,poeta... que a morte se afaste de mim....rapidamente porque quero minha vida no mínimo,eternamente...desfrutando de tudo de bom que ela oferece....

Tudo!!!!


beijos, poeta!

Lisa