10.8.12

presentes do meu pai

Quando eu tinha onze anos de idade meu pai mandou o dono da loja — Tito Klocker — trazer-me um rádio de ondas curtas. Presente de aniversário. Meses depois, deu-me uma assinatura anual do jornal Estadão. Esses dois presentes foram fundamentais na determinação do meu futuro.
Obrigado, Pai!

Eu adorava o rádio. Durante o dia, muitas notícias, e o programa do Hélio Ribeiro. À noite, as transmissões em ondas curtas da Voz da América, da Rádio Central de Moscou, da BBC, da Rádio El Mundo, de Buenos Aires, da Rádio Pequim, da Radio Sofia, da Bulgária, e assim por diante. Geralmente, em espanhol. Eu preferia o espanhol visando aprender a língua. Depois de dois anos, o espanhol passou a ser minha segunda língua. Essas transmissões também me ajudaram a aprender que os fatos podem ter várias versões. Mas quando a pilha estava acabando, eu tinha que encostar o ouvido no rádio. Dormia com ele ligado, na cama, ao lado do travesseiro. Aprendendo espanhol — e viajando pelo mundo...

4 comentários:

Edson Marques disse...

Um pouco antes, deu-me uma Enciclopédia Formar. Doze volumes, capa vermelha.
http://mude.blogspot.com.br/2012/08/presentes-do-meu-pai.html
Ele não podia comprar uma Barsa. Era muito caro...
É a vida.

Patricia Galis disse...

O presente que ganhei do meu pai e não esqueço foi uma caixinha de musica com 21 anos de idade...era uma coisa que queria há muito tempo.

Ana Carla disse...

Perdi meu pai muito cedo... mas ele teve tempo de me presentear com uma "sonata", que era um tipo de vitrola portátil! Hehehe...

VIDA E LIBERDADE disse...

Boas lembranças...não é mesmo?
Teu pai fortaleceu seu futuro,porque como pai ele já sabia que teria um poeta ,escritor , arquiteto, filósofo e um filho muito amoroso romântico e principalmente, livre!!!
Hoje ele te aplaude e o admira ainda muito mais...

Linda madrugada poeta!

beijo