16.8.12

nossas igualdades

Nas questões do amor, o que nos une não são só as nossas igualdades, mas principalmente a possibilidade aberta de que um dia as nossas diferenças se dissipem. Eu me refiro a diferenças conceituais, sobre o que vem a ser a liberdade, o ciúme, a paixão e o delírio. Diferenças básicas de visão do mundo. Por isso é que decido dar-te por uns tempos minha mão: porque sei que ninguém vai além dos seus limites, e porque também creio que um dia você ainda vai preferir o amor livre a qualquer outro tipo de amor.

6 comentários:

Edson Marques disse...

Não só nas questões do amor: também em outras...
http://mude.blogspot.com.br/2012/08/nossas-igualdades.html

Marisete Zanon disse...

Muita verdade isso e pra chegar até essa maneira há de se ter muita sensibilidade e cuidado com o ser humano. muito bonito!
Um abraço!

Ana Carla disse...

Então... tenho pensado que não sinto ciúme. O que sinto é inveja da pessoa que tem o tempo e a atenção do objeto do meu amor.

MA FERREIRA disse...

Edson, inseri um texto seu em uma postagem. Espero que você goste!
http://www.mdfbf.blogspot.com.br/2012/08/eu-e-os-girassois.html
bj

Corpo Líquido disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Corpo Líquido disse...

E o que vem a ser a liberdade, o ciúme, a paixão e o delírio?
Me pergunto...e me perco.
Flores para ti!