9.7.12

insignificancias

Tem dias que eu tropeço em algumas insignificâncias... Mas não é nada. É só Deus me testando pra ver se estou atento.

Minha vó Vitalina recomendava-me que eu fosse curioso, mas sempre atento. E a curiosidade, no conceito dela, tinha que ser intelectual, no sentido de pesquisa e de conhecimento, mas nunca no sentido de fofoca. O interesse tinha que ser pelo fato em si, pela ocorrência — e não pela notícia. E assim eu fiquei até hoje: curioso e atento. Por isso o tema "curiosidade, tropeço e memória" volta sempre à baila. Ontem eu publiquei no Facebook: O homem é o único animal irracional que tropeça duas vezes na mesma pedra. Tal frase, com todos os seus significantes e metáforas, foi criada por mim a propósito do que me disse meu pai certa vez, quando ele puxava o Estrela pela rédea, passeando comigo numa noite de luar na fazenda de Sengés. Estrela era o nome do cavalo, que ganhei no meu sétimo aniversário. Naquela noite, íamos por um caminho sinuoso no meio da mata e o Estrela tropeçou, batendo levemente a ponta do casco numa pedra. Foi então que meu pai me disse que os animais têm uma memória impressionante, e que nunca tropeçam duas vezes na mesma pedra... Não sei se é verdade, mas isso hoje não importa. Como eu já disse no meu livro Solidão a Mil, meu querido pai era "um bruto com coração".

6 comentários:

Edson Marques disse...

Minha vó Vitalina sempre recomendava: "seja curioso e atento". Mas a curiosidade, no conceito dela, tinha que ser intelectual, no sentido de pesquisa e conhecimento, mas nunca no sentido de fofoca. O interesse tinha que ser pelo fato em si, pela ocorrência e não pela notícia. Agora vou tomar um café, demorado, lembrando da minha tão querida Vó Vitalina.

http://mude.blogspot.com.br/2012/07/insignificancias.html

Edson Marques disse...

Às vezes, para conhecer Deus, a gente tem que dar um click Nele.

Ygo Maia - Mergulhando Na Leitura disse...

Olá, Edson.
Gostaria de fazer uma proposta: gerencio o blog "Mergulhando Na Leitura" e, de vez em quando, faço entrevistas. Inclusive já entrevistei um escritor de Romances Policiais do Rio G. do Sul. Eu ficaria muito grato se conseguisse essa entrevista com você para que os leitores que me acompanham possam saber mais sobre você. Podemos tratar de assuntos como a importância da leitura, as suas obras, a polêmica que envolve o poema "Mude"... Se tiver interessado, seria bom eu ter o seu e-mail para enviar o documento com as perguntas e, no seu tempo, você me enviaria as respostas.
Um abraço!

Bandys disse...

Oi Poeta,

Bom dia com teus raios,rs!
Não acho"ainda" que Deus nos testa.
Penso que ele nos treina.

Beijos doces proce.

VIDA E LIBERDADE disse...

Acho que nós insignificantes pessoas...às vezes ,queremos testar Deus...como se fosse possível...
Mas Ele Todo Poderoso,é que nos testa,em todos os sentidos...Deus é Pai e qual o pai que não testa seus filhos?


Beijókas...poeta!


Lisa

Crista disse...

E esse bruto com coração...estava coberto de razão!!!