1.7.12

adoro

Eu adoro ter o direito de às vezes não ter razão.

3 comentários:

Edson Marques disse...

Eu adoro ter o direito de às vezes não ter razão.

Mas o que é ter razão?

Quero expandir um pouco mais essa ideia. Pois suponho que a "razão", neste caso, jamais pode ser uma concessão alheia. É resultante necessária de um ato particular, próprio de quem assume uma postura (emocional, intelectual, não importa). Talvez.

Vou pensar melhor.
Mas, antes, fazer um café...

http://mude.blogspot.com.br/2012/07/adoro.html

VTM disse...

Meu Deus
Me desculpe
eu peguei esse poema de um site
não estou lembrado...
então esse poema é de sua autoria?
...tem um site que fala que é de Clarice:
http://bbamormaisforte.dihitt.com.br/n/auto-ajuda/2010/07/21/mude-clarice-lispector

tem outro:
http://pensador.uol.com.br/frase/NTU3Mzkz/

Fique atento com esse povo
Corrigirei o autor do texto
Me desculpe
tenho o dever de pedir permisão a voce. Posso colocar o seu poema com seu nome (é claro) no meu blog?

Respeitosamente
VTM

Edson Marques disse...

O sono é uma necessidade espiritual. Eu tive essa ideia semana passada e agora fico pensando sobre ela. O bom de ser filósofo sem compromisso e poeta louco é isto: eu posso escrever uma frase genial ou dizer uma besteirinha qualquer — tudo com a maior naturalidade. Mas essa questão do sono ser algo de fundo espiritual está me fascinando, realmente. É uma ideia minha — original. Portanto, se for uma besteira, eu assumo-a, integralmente. Claro que, se quisermos levar a sério tal discussão, precisamos antes definir o que é "espiritual".

Mas agora estou tomando café, nesta manhã ensolarada de domingo, e ouvindo pássaros. Melhor voltar mais tarde.