12.3.12

eterno abandonavel

Eu digo que todos os meus amores são eternos, e em seguida proponho que devemos abandonar um grande amor no auge, no pico da relação. Ao ler essas duas coisas, você pode concluir que estou sendo contraditório. Aparentemente sim, mas, realmente, suponho que não. No fundo, estou mesmo é procurando ser coerente ao máximo. E querendo apenas te fazer pensar. Raciocinar. Querendo que você questione os teus atuais conceitos de amor e liberdade. Ao supor que eu me contradigo, você, de certa forma, já está se defendendo. Já está raciocinando — o que é um bom sinal. Continue.

Nenhum comentário: