14.12.11

sem a liberdade eu morreria

Numa troca, quanto maior a perda, maior deve ser o ganho. Você foi, por algum tempo, a segunda coisa mais importante e mais preciosa da minha Vida. E, portanto, só poderia trocá-la por algo melhor. Escolhi a liberdade, porque as minhas relações sempre são quadrangulares: Eu, você, o meu Amor — e a liberdade. E cada um de nós deve, ao mesmo tempo, considerar os outros três indispensáveis. Nenhum deve machucar ou pressionar os demais. Eu não suprimo o meu Amor, nem a liberdade. A liberdade não me suprime, nem suprime o meu Amor, nem quer afastar você de mim. Mas se você pretende afastar-me da liberdade — ou do meu Amor — eu tenho que fazer uma escolha radical. E eu sempre escolho a liberdade. E, por conseqüência, o meu Amor. A liberdade, porque ela é mais difícil de ser conquistada, muito mais rara, e fundamental. E o meu Amor, porque é assim que eu sei amar.

Mas, se algum dia você não mais quiser suprimir-me a liberdade, e nos aceitar inteiramente, eu e ela, sem restrições, talvez então eu, ela, e o meu Amor — todos voltaremos com alegria aos teus braços. Para sermos felizes, nós quatro. Simultaneamente.

Compreenda-me: sem a Liberdade, eu não conseguiria ser feliz de modo algum!

Nenhum comentário: