28.11.11

optei pela bisteca

Eu tinha uma namorada maravilhosa. Inteligente, bonita, simpática, saudável. Ela fazia Direito na PUC. Nós nos conhecemos no Teatro Ruth Escobar, numa sessão pública de psicodrama. O nome dela era Sandra. Mas, quando jantávamos no Star City, ela implicava comigo, reclamando por eu comer uma bistequinha de porco frita, com aquele delicioso anel de gordurinha dourada. Sandra era judia. E eu, não. Mas, como ela implicava demais por causa dessa minha paixão, tive que optar, radicalmente.

Escolhi a bistequinha.

Nenhum comentário: