22.11.11

eu e nietzsche

Tem dias que eu varo a noite tomando vinho com Zaratustra. Mas, de madrugada, o sol quase raiando, o velho Nietzsche vai embora, cavalgando seu cavalo escandaloso da Razão — e ficamos só nós dois, eu e ela. Então, escrevo um poema que deixo colado nos olhos do Amor, e também me vou... É a vida.

Nenhum comentário: