11.10.11

mereco tua desconfianca

CONTRABANDISTA DE TERNURAS

Tenho fogo nas veias e meu espírito é santo. Sou movido a encanto. Mas não se assuste só porque sou livre. Claro que eu mereço tua desconfiança: meu domínio é o Desejo e meu tempo é o Agora. Sou um fornecedor de coragem. Um contrabandista de inocências e ternuras. No mercado poético dos múltiplos amores, vendo flores e estrelas a um preço irrecusável. Dou-me todo e quero luz. Às vezes me reparto, outras não. Entretanto, não me troco, sou inteiro. Às vezes sou pouco, sou tudo, sou nada. Outras vezes, só poesia entusiasmada. Mas sempre no fundo sou Eu. Portanto, feche os olhos e caia em meus braços, que te levarei a um porto inseguro — e delicioso — onde os Deuses te beijarão.

Um comentário:

sonia kahawach disse...

Lendo isto me fez lembrar que teve um tempo que eu escrevia falando de amor e a pessoa me perguntava se era tudo sentimento mesmo ou só poesia.
E eu respondi algumas vezes que eu era o amor, a rubra rosa. Quem mereceu esse seu poema tem mais é que fechar os olhos,cair em seus braços e viajar até os Deuses.