21.8.11

anti edipo

Hoje eu amanheci freudiano. Quero escrever algo sobre o que sucede a pessoas que não amam suas respectivas mães. Pessoas que não veneram suas mães. Não as idolatram. Minha tese nada tem a ver com castigos divinos ou miudezas semelhantes. Mas tem tudo a ver com o absurdo de se negar a própria origem. É uma coisa muito difícil de se consertar, pois desvalorizar a mãe é desqualificar a fonte da sua própria vida. Do ponto de vista psicanalítico, é um desastre. /// Quando terminar o artigo publicarei aqui.

Nenhum comentário: