3.7.11

15 minutos

Acho que desta vez vou me apaixonar por quinze dias... Ou será que agora vai ser por toda a eternidade? Ou talvez por apenas duas ou três horas? Quinze minutos, quem sabe... Não sei. Realmente, não sei. E seria leviano de minha parte fazer esse tipo de promessa. Até porque não sou eu quem determina o tempo, a intensidade e a duração dos meus amores: — é o meu próprio coração. Ele tem autonomia, é completamente livre, independente, e faz o que bem quer. Afinal, se eu todo sou livre, por que só meu coração não seria?

Nenhum comentário: