19.6.11

casamento

Grandes paixões sempre duram pouco. A natureza da paixão é ser fugaz e passageira. Ninguém suportaria viver aventuras diferentes todo dia, e grandiosas — para sempre — com a mesma pessoa. Seria a banalização da gostosura. Já os casamentos tradicionais são mais duradouros. Porque faz parte da própria natureza do casamento ser monótono, e excluir toda e qualquer possibilidade de aventura, de risco e de emoções. O casamento foi inventado para encurralar o amor, domesticar os amantes, e torná-los previsíveis, descoloridos, certinhos e estáveis... Em outras palavras, para burocratizar o amor. O casamento foi criado para tornar os amantes sem graça. Ou seja: para desgraçá-los completamente.

Um comentário:

Edson Marques disse...

— Tem exceções?
— Claro que tem: conheço duas...